Tamanho
do Texto

O Aborto e suas Consequências do Ponto de Vista Espiritual – Parte 1

O que diz o Espiritismo

 

Embora existam diferentes interpretações do ponto de vista político, ideológico ou religioso, o aborto é um assunto de interesse mundial. No Brasil já esteve em discussão muitas vezes, gerando debates e divergências de opiniões tanto no congresso nacional quanto em meio a sociedade.

 

Nossa intenção ao abordarmos o tema aborto não é o julgamento, mas fazer um convite à reflexão sobre a vida em seu amplo significado, tratando sobre a importância que ela merece.

 

Que respostas encontramos à luz do Espiritismo sobre a gestação desde o momento da concepção de acordo com os conceitos da reencarnação, imortalidade do espírito,  lei de causa e efeito e os laços familiares?

 

A partir desses conhecimentos é possível entender melhor o forte vínculo que envolve o espírito e o corpo ainda no momento da concepção, além de é claro, das consequências do aborto do ponto de vista espiritual.

 

Elucida a questão 344 de O Livro dos Espíritos: Em que momento a alma se une ao corpo? “A união começa na concepção, mas não se completa senão no instante do nascimento. Desde o momento da concepção, o Espírito designado para tomar determinado corpo a ele se liga por um laço fluídico que se vai encurtando cada vez mais, até o instante em que a criança vem à luz; o grito que então se escapa de seus lábios anuncia que a criança entrou para o número dos vivos e dos servos de Deus”.

 

Em resposta às perguntas elaboradas por Allan Kardec, os espíritos acrescentam ainda o respeito que devemos ter pela obra divina, mesmo quando ainda está incompleta, porque a mesma obedece aos seus desígnios e estes ainda são insondáveis para nós, seres imperfeitos.

 

Prossegue na questão 358 de O Livro dos Espíritos. Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação?“Há crime sempre que transgrides a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.”

 

Abrindo os horizontes a partir da crença na reencarnação

Aliando a abordagem científica a espiritual,  relembramos o trabalho de dra. Marlene Nobre, conceituada médica ginecologista e presidente da AME- Associação Médico-Espírita no Brasil e Internacional e autora do livro O Clamor da Vida. Em entrevista à Revista Cristã de Espiritismo,  número 26, fez considerações importantes sobre o aborto:“O aborto traz consequências orgânicas, psicológicas e espirituais, nesta existência e na outra, para a mulher que o provoca, para o companheiro que não a apoia na gravidez e para a equipe de saúde que o executa. Não há como negar, porém, que as consequências são mais graves para a mulher, porque, desde tempos imemoriais, ela traz no seu psiquismo o compromisso com os entezinhos que necessitam vir ao mundo para progredir. Essas consequências tomam o nome de obsessão, depressão, disfunções e doenças orgânicas do aparelho genital.”, reflete.

E completa: “A luta contra o aborto está intimamente ligada a minha convicção como espírito imortal e a minha tarefa como médica”.

 

Prosseguindo nossa pesquisa, encontramos no capítulo 11 de A Gênese, obra publicada por Allan Kardec: “Quando o Espírito tem de encarnar num corpo humano em vias de formação, um laço fluídico, que mais não é do que uma expansão do seu perispírito, o liga ao gérmen que o atrai por uma força irresistível, desde o momento da concepção. À medida que o gérmen se desenvolve, o laço se encurta. Sob a influência do princípio vito-material do gérmen, o perispírito, que possui certas propriedades da matéria, se une, molécula a molécula, ao corpo em formação, donde o poder dizer-se que o Espírito, por intermédio do seu perispírito, se enraíza, de certa maneira, nesse gérmen, como uma planta na terra. Quando o gérmen chega ao seu pleno desenvolvimento, completa é a união; nasce então o ser para a vida exterior”.

 

Buscando compreender com mais profundidade os ensinamentos à luz do conhecimento espírita, importante ressaltar os laços que ligam as famílias, afetos e desafetos que precisam de reajustes dentro da lei de progresso, afinal o laços familiares não são obra do acaso. Nesse sentido a Doutrina Espírita esclarece sobre a importante função educadora da família e a oportunidade da reencarnação.

 

No livro Família o espírito Emmanuel faz uma profunda reflexão: “Recebamos na criança de hoje, em pleno mundo físico, o companheiro do pretérito que nos bate à porta do coração, suplicando reajuste e socorro. Estendamos a luz da educação e do amor, diminuindo as sombras da penúria e da ignorância”.

 

A partir da crença na reencarnação como lei natural de causa e efeito, passamos a levar em conta as provas e expiações necessárias ao nosso aprendizado. Qual o primeiro de todos os direitos naturais do homem? “O de viver. Por isso é que ninguém tem o de atentar contra a vida de seu semelhante, nem de fazer o que quer que possa comprometer-lhe a existência corporal.”(880 O LE).

 

Argumentos que nos fazem entender que além de um corpo em questão, há um espírito que precisa daquela encarnação. No livro Dinâmica Psi, o psiquiatra e grande pesquisador espírita Jorge Andréa

faz uma abordagem da gestação: “São 300 milhões de espermatozóides para apenas uma célula feminina; 48 horas após a concepção, se pudéssemos ver, notaríamos que poucos continuam vivos”.

logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior