Tamanho
do Texto

Ritual e Culto

Ritual e Culto

Os sinônimos latinos cultus e colere, em sua derivação, indicam
as idéias de “cultivar” e “fazer existir”, sob este prisma entendemos o culto
como atividade do Espírito visando cultivar os laços que o unem ao Criador,
atando-os, religando-os.

O culto cristão, de caráter interior e universal, não se confunde com o rito,
de natureza gestual, eminentemente exterior, cultural e particularista.

Jesus Cristo sugere o culto a ser realizado em espírito e verdade
1, visto que Deus não compactua com a materialidade perecível ou
com a exterioridade desprovida de intenções plenificadoras, convidando o que
ama, e deseja dar mostras desse sentimento que pulsa interiormente, a adorar a
Divindade espiritualmente abrindo possibilidades de agigantamento das próprias
condições de atuação na vida, dinamizando a caridade nos locais onde habita.

O Mestre Galileu deu o mais notável exemplo de culto, pondo sua existência a
serviço dos desígnios divinos e demonstrando que sua dimensão essencial é fruto
da ligação íntima e perene com Deus, o que O fez afirmar: Eu e o Pai somos um.
2

O ensejo de identificação com o Ser Supremo permite que a fé se alastre,
“criando-se” e “recriando-se” nos meios em que o cultivo das relações com o
transcendente é proposto dentro de incentivo edificante, permeado pelo respeito
à liberdade individual, ao tempo e aos talentos de que cada criatura é
portadora.

Ao ouvirmos ou lermos obras de nobre teor, que nos remetam a reflexões mais
profundas em torno da vida, estaremos diante do ensejo de cultivar relações com
o Criador.

Quando participamos de estudos esclarecedores, quando formulamos orações
apaziguadoras ou estabelecemos auxílio dignificante, concretizamos culto nobre e
real.

Efetuando caminhadas por lugares bucólicos, aprazíveis, em momentos nos quais
mergulhamos em meditações plenificadoras, quando passamos a perceber as
magníficas conseqüências do labor criativo da Inteligência Suprema, desenhadas
nas paisagens arborizadas e floridas, efetivamos ato de eminente culto.

Cumprindo deveres familiares, profissionais e sociais, sem abrir mão da
moralidade cristã, cultuamos a Divindade, porquanto Ela nos deu a vida em
sociedade e suas múltiplas atividades para que possamos crescer, utilizando de
todos os instrumentos que nos são disponibilizados.

Também cultivamos a ligação com Deus ao refletirmos sobre a excelsa mensagem
do Cristo, reunindo a família, propondo-nos à prece e à meditação, facultando
aos Irmãos de Luz, representantes do Criador, saudar-nos com intercessões
benditas, a fim de mantermos salutar ambiência psíquica em nossos lares.

Devemos abrir mão dos ritos, porém nunca olvidar o culto necessário, nesses
dias de tormento e aflição mundial, culto que se expressa no ato de entregar a
vida, em sua totalidade, à caridade, conforme entendia o Cristo, para que o
nosso cotidiano dê constantes mostras de cultivo integral dos laços que nos unem
ao Pai Amoroso.

1 Jo, 4:24.

2 Jo, 10:30.

(Jornal Mundo Espírita de Novembro de 2001)

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior